História da Causa

?

A 14 de Novembro de 1985, a Superiora Geral, Irmã Maria Alice Portela, após uma audiência concedida aos casais devotos e colaboradores diretos da Irmã Maria Rita de Jesus, autoriza a que seja iniciado o Processo de Canonização da Serva de Deus.

Em 1994, pela insistência dos casais colaboradores da Irmã Maria Rita de Jesus, e com o apoio da Superiora Provincial, Maria Helena Rodrigues Carvalho Moreira, elabora-se a necessária biografia e inicia-se a organização do arquivo.

A 15 de Abril de 2002 a Conferência Episcopal Portuguesa, reunida em Assembleia Plenária de 8 a 11 deste mesmo ano, aprova a introdução do Processo de Beatificação-Canonização da Irmã Maria Rita de Jesus sob proposta de D. Armindo Lopes Coelho, Bispo do Porto, e a pedido da Superiora Provincial Irmã Maria Ludovina Martins Ferraz.

No dia 3 de Novembro de 2002, o Ex.mo e Rev.mo D. Armindo Lopes Coelho, Bispo do Porto, nomeia Postulador da Causa o Reverendíssimo Cónego Professor Doutor Carlos Alberto de Pinho Moreira Azevedo.

A 18 de Março de 2003, a Santa Sé, na pessoa do Senhor Cardeal Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, D. José Saraiva Martins, dá o nihil obstat para a Causa da Beatificação e Canonização da Serva de Deus Irmã Maria Rita de Jesus.

A 13 de Maio de 2004, D. Armindo Lopes Coelho, Bispo do Porto, assina o Decreto de introdução da causa de canonização da Serva de Deus Irmã Maria Rita de Jesus (no século: Florinda Rosa de Oliveira) e ordena que se abra o processo sobre a vida, virtudes e fama de santidade da dita Serva de Deus. É constituído o Tribunal por decreto episcopal composto por: Cónego Dr. Marcelino António da Cunha Ferreira, Juiz Delegado; Padre Dr. Eugénio Oliveira Pinho, Promotor de Justiça; Dr. Ângelo dos Santos Cardita, Notário.

No dia 29 de Maio de 2004, na Casa Episcopal da Diocese do Porto, perante o Ex.mo e Rev.mo D. Armindo Lopes Coelho, Bispo do Porto, o Rev.mo Cón. Doutor Carlos Alberto de Pinho Moreira Azevedo, Postulador da causa de canonização da Serva de Deus Maria Rita de Jesus, pediu que se procedesse à abertura do processo informativo sobre a vida, virtudes e fama de santidade da Serva de Deus Maria Rita de Jesus (no século: Florinda Rosa Oliveira), da Congregação das Franciscanas Missionárias de Nossa Senhora.

A 7 de Fevereiro de 2005, no Paço Episcopal da Diocese do Porto, teve lugar a clausura da primeira fase do processo de Beatificação e Canonização da Irmã Maria Rita de Jesus.

A 17 de Fevereiro de 2005, são entregues, a Sua Eminência Reverendísima Cardeal José Saraiva Martins, Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, dois dossiers com todos os documentos integrantes do Processo de Beatificação-Canonização da Irmã Maria Rita de Jesus.

A 14 de Março de 2008, foi emitido da Congregação para a Causa dos Santos o Decreto de Validade desta Causa.

Em 2009 foi nomeado Relator para a Causa da Irmã Maria Rita de Jesus o Padre Cristoforo Bove, OFMConv (que faleceu em exercício);

Em 2011, o Padre Alfredo Simón, OSB (que veio a ser chamado pelos Superiores da Ordem em Espanha) e, em 2017, o Padre José Jaime Brosel Gavilá.